CCSP WEB

  • Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras dias 4/9 e 6/11 - domingos - das 14h às 15h30
  • Dança IN formação Dança IN formação dia 26/8 - sexta - 17h
  • Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras CCSP Dança em Residência Artística - até dezembro
  • Devolve duas horas da minha vida – Projeto Mov_ola residência artística Devolve duas horas da minha vida – Projeto Mov_ola residência artística CCSP Dança em Residência Artística - até dezembro
  • Projeto Abissal - iN SAiO Cia de Arte Projeto Abissal - iN SAiO Cia de Arte CCSP Dança em Residência Artística - até outubro

 

DANÇA

Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras
Oficina aberta para todos

dias 10/7, 7/8, 4/9 e 6/11 - domingos - das 14h às 15h30
A oficina trabalha a dança e o improviso com foco em uma abordagem da cultura corporal do movimento acessível a todos, por meio de técnicas de consciência corporal, dinâmicas de DanceAbility e dança-teatro.
com: Fernanda Amaral (coreógrafa) e bailarinos da Cia Dança sem Fronteiras

Espaço Flavio Império (Foyer)
grátis - sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

aviso Esta atividade integra a residência artística Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras

seta topo

 

Dança IN formação

dia 26/8 - sexta - 17h
Dança IN formação é um projeto com diferentes ações vinculadas às Danças Urbanas. No decorrer de suas edições, abordará várias formas de atuação que essas práticas possibilitam. Serão apresentações artísticas, jams, batalhas, debates, entre outras – contemplando e convidando diferentes profissionais, coletivos e públicos para tratar dos temas em questão. É um evento cultural em que convidados, dançarinos e público espontâneo – de diversas localidades – poderão compartilhar e interagir durante as atividades.
cocuradoria: Frank Ejara, Ivo Alcântara, Rodolfo Grilo e Thiago Negraxa

210min - Sala Adoniran Barbosa
grátis - a bilheteria será aberta duas horas antes do início do evento – os ingressos não estarão disponíveis pela internet – cada pessoa poderá retirar até 2 ingressos

veja também Próximas apresentações: dias 21/10 e 16/12

seta subir

 

CCSP Dança em Diálogo 2016

de abril a dezembro

dias 14, 15, 16/4, 9, 10 e 11/6, 11, 12 e 13/8, 3, 4 e 5/11 e 1, 2 e 3/12
O CCSP Dança em Diálogo é um projeto idealizado pela Curadoria de Dança CCSP com Cássia Navas, especialmente para o Centro Cultural São Paulo. Tendo início em 2015, trata-se de uma proposta inovadora que surgiu da necessidade de um espaço aberto de diálogo e intercâmbio de informações - direcionados, considerando o passado, presente e futuro da cena da dança. Para 2016, realimentamos o projeto e seguimos em novo formato e prática, com a proposta: CCSP Dança em Diálogo 2016 – Crítica, Análise (e história): novos formatos. Serão encontros bimestrais, dezoito ao todo, em jornadas concentradas reunindo pesquisadores, plateias, artistas e interessados em ampliar o debate sobre a dança na cena contemporânea, abordando-se aspectos históricos e teóricos de sua constituição como campo das artes do espetáculo, a partir de um mapeamento inicial de seu “estado da arte”. Para tanto, propõe-se instrumentos para a análise crítica de obras modernas e contemporâneas, em estudo de sua estrutura e sentidos em relação a plateias, estudiosos e artistas.
com: Cássia Navas (professora-doutora do Instituto de Artes/Unicamp, graduada em Direito/USP, doutora em Comunicação e Semiótica/PUC-SP, pós-doutora em Artes/ECA-USP e especialista em gestão e políticas culturais)

quintas, das 17h30 às 20h30; sextas, das 18h30 às 20h30; e sábados, das 17h às 19h30 - 16 anos - Sala de Ensaio 1 (quintas e sábados) e Sala Adoniran Barbosa (sextas)

inscrições (para os encontros às quintas e sábados): de 16/3 a 3/4, enviar e-mail para inscrição.dancaccsp@gmail.com, com o assunto CCSP Dança em Diálogo 2016, contendo nome completo, idade, nº de RG e CPF, celular, breve currículo (de no máximo cinco linhas) explicitando as atividades que se relacionam com o projeto e breve texto (de no máximo cinco linhas) explicando o motivo de interesse em participar do grupo de estudos - seleção: por análise das informações e compatibilidade dos perfis com o escopo do projeto. Os selecionados serão avisados por e-mail até o dia 8/4 - público: interessados acima de 16 anos

funcionamento da bilheteria (para os encontros abertos às sextas): grátis - a bilheteria será aberta duas horas antes do início do espetáculo para a retirada de ingressos - os ingressos não estarão disponíveis pela internet - cada pessoa poderá retirar até dois ingressos

veja também Haverá atividade especial durante o CCSP Semanas de Dança 2016, no período de 8/9 a 2/10.

seta subir

 

CCSP Semanas de Dança 2016

de 8/9 a 2/10
Semanas de Dança, ao longo de seus mais de 20 anos de existência, é o evento de maior significância na área de dança do Centro Cultural São Paulo. Além da importância para a instituição, este evento é uma referência no cenário da cidade e que aspiramos ao reconhecimento internacional.

Seguindo os moldes da edição anterior, o CCSP Semanas de Dança 2016 delineia-se a partir de um perfil semelhante aos de festivais contemporâneos de artes cênicas – mundiais – onde, além do público local, programadores e curadores transitam atrás de propostas artísticas e tendências culturais da região.

Não é novidade que a cidade de São Paulo já é pequena para abrigar a sua própria produção artística – tão única e latente – e, para tanto, vê-se a necessidade de se ampliarem os horizontes territoriais, por um lado, atraindo o interesse de gestores, empreendedores e agentes culturais e, por outro, proporcionando uma diversidade de propostas artísticas de excelência e identidade própria para o público local.

Seja muito bem-vindo ao CCSP Semanas de Dança 2016!

Andrea Thomioka
Curadora de Dança do CCSP

Abertura CCSP Semanas de Dança 2016
dia 8/9 - quinta - das 19h às 20h30
Recepção do público e lançamento da programação
Apresentação do documentário Da Percepção à Memória 2016: Uma narrativa dançada
Lançamento App e Plataforma digital Dança para todos

livre - Sala Adoniran Barbosa e Espaço Oficinas - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

Lançamento do app e da plataforma digital Dança para todos
dia 8/9 - quinta - 20h
Com foco inicial na mediação entre dança e suas plateias, a Plataforma digital é concebida como uma ferramenta on-line colaborativa de mapeamento, cartografia, pesquisa, produção e fruição de conteúdo, além de geração de ações relacionadas à dança. A plataforma agregará informações sobre espetáculo, festivais, mostras, grupos, companhias, espetáculos, espaços, artistas, profissionais e instituições relacionadas à expressão artística, sendo o seu primeiro case o CCSP Semanas de Dança 2016, e o segundo o festival ABCDANÇA 2017, abrangendo-se as cidades do Grande ABC, capital paulista, Suzano e Poá.

associação tryade: Proponente Administrador do Projeto - curadora artística e produtora de conteúdo: Cássia Navas - curador digital: Willian Alexandrino - assistente de curadoria e produtora de conteúdo: Amanda Queirós - produtora e revisora de conteúdo: Thais Polimeni - produtor executivo e de conteúdo: Leonardo Cássio - produtor de conteúdo: Henrique Rochelle - empresa de tecnologia: I9 Comunicação - parceira de conteúdo: ABCDANÇA e CCSP - Curadoria de Dança - parceira de conteúdo e manutenção da plataforma: Cult Cultura

O evento de lançamento do App e da Plataforma digital Dança para todos integra o projeto DANÇA PARA TODOS – PLATAFORMA DIGITAL, contemplado no EDITAL 41 – PROAC 2015 – SEC - realização: Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura, Centro Cultural São Paulo/SMC.

livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

O CCSP Dança em Diálogo é um projeto idealizado pela renomada Cássia Navas e a Curadoria de Dança, especialmente para o Centro Cultural São Paulo. Sua primeira edição ocorreu em 2015, numa proposta inovadora, fruto da necessidade de um espaço aberto de diálogo e intercâmbio de informações, dinâmica direcionada a partir do contexto histórico – tradição e atualidade das danças nacional e mundial.

Considerando-se que seja fundamental a possibilidade de se estabelecer uma apreciação dos fatores e influências que delinearam a atualidade da Dança, para projetarmos expectativas do futuro para esta linguagem, para 2016, realimentamos o projeto e seguimos em novo formato e prática, com a proposta CCSP DANÇA EM DIÁLOGO 2016 - CRÍTICA, ANÁLISE (E HISTÓRIA): novos formatos. São 18 encontros ao longo do ano, em seis ciclos, com jornadas concentradas reunindo – em três dias – pesquisadores, plateias, artistas e interessados em ampliar o debate sobre a dança na cena contemporânea.
coordenação: Cássia Navas, com integrantes do CCSP, Dança em Diálogo + GEPETO - Grupo de Pesquisa Topologias do espetáculo: arte e identidade contemporâneas/UNICAMP

saiba mais Cássia Navas, professora de pós-graduação em Artes da Cena/Instituto de Artes/UNICAMP, graduada em direito (USP), doutora em dança/semiótica (PUC/SP), pós-doutora em artes (ECA/USP), especialista em gestão/políticas culturais (UNESCO/Université de Dijon/Ministère de la Culture/France). Curadora e consultora de vários programas em dança, foi pesquisadora da Equipe de Artes Cênicas/IDART/Secretaria Municipal de Cultura (SP), coordenadora da REDE Stagium e da Oficina Cultural Oswald de Andrade (SP).

CCSP Dança em Diálogo no Semanas de Dança 2016
de 22 a 24/9
Dentro do Semanas de Dança 2016, o Dança em Diálogo propõe uma ação específica ligada à análise e à crítica de dança, a partir de duas mesas-redondas abertas ao público, que é convidado a assistir a um espetáculo do evento para sobre ele também conversar ao longo da ação. Além disso, este encontro também se insere no lançamento do projeto Plataforma digital dança para todos, um aplicativo que tem como meta a conexão de mais plateias com mais artistas da dança.

Mesa 1 - Dança: novas (e velhas) tecnologias
dia 22/9 - quinta - 18h
Reflexão sobre os modos de produção e recepção da dança, a partir de novas e velhas tecnologias, mediante abordagens intradisciplinares que possam alinhar plateias e artistas, como novos aplicativos, projetos educacionais, conversas, diálogos, redes sociais, com foco no ritual contemporâneo de assistir/ver/presenciar dança em teatros e nos espaços onde ela se apresente.
livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

Ver + falar sobre dança: convite para assistir a uma obra
dia 23/9 - quinta - 21h
O CCSP Dança em Diálogo convida o público a assistir ao espetáculo Percursos Transitórios, de Zélia Monteiro, tendo como elementos de análise as informações do aplicativo Plataforma digital Dança para todos.
livre - Sala Jardel Filho - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

Mesa 2 - Dança: frente-e-verso
dia 24/9 - sábado - 18h
Debate sobre processos e crítica em arte, a partir de metodologias plurais para a análise da dança, em aproximações do discurso verbal com o discurso coreográfico, propondo-se uma reflexão intradisciplinar no campo da heterocrítica, em diálogo entre danças e suas plateias, na construção de um espaço político, porque da cidade e para a cidade, em sentido amplo.
livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

O projeto Dança IN’formação, proposto pela Curadoria de Dança 2016 é um evento cultural em que convidados, dançarinos e público espontâneo – de diversas localidades – compartilham de atividades diversificadas. Trata-se de uma proposta vinculada às Danças Urbanas, desenvolvida cocuratorialmente com os convidados para a edição de 2016 – Frank Ejara, Grilo Rodolfo, Ivo Alcântara e Thiago Negraxa –,
que, ao longo do ano, em 10 edições sob temáticas específicas, diversificam as ações abordando as diferentes formas de atuação que essas práticas possibilitam – apresentações, jam’s, batalhas, debates, etc. – contemplando e convidando diferentes profissionais, coletivos e públicos para tratar dos temas em questão.

Dança IN’formação no Semanas de Dança 2016
dias 23 e 25/9 - sexta, às 20h, e domingo, às 19h
Convidamos os cocuradores para apresentarem suas propostas cênicas que ilustram suas pesquisas e conceitos, ressaltando a relevância de cada um, no cenário nacional das Danças Urbanas.
livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

Do asfalto para o palco - com 011 Crew
Buscamos levar a nossa vivência ao longo dos anos dançando na rua para o palco com muita emoção e expressão.
criadores-intérpretes: Rodolfo Almeida da Silva (Grilo), Diego Ferraz, Louis Alves, Bruno Texeira

saiba mais O 011 Crew é um grupo de Breaking tradicional de São Paulo que vem desenvolvendo diversos trabalhos com o ritmo. Dentre eles estão: Show na Casa de Cultura Santo Amaro; Show no CEU Caminho do Mar; Show no CEU Rosa da China, na Semana do Hip Hop; Show no Centro Cultural Jabaquara.

Rua 3 - com Thiago Negraxa
Este é um projeto piloto, uma proposta incipiente de investigação das linguagens da cultura Hip Hop. O mote inicial deste trabalho são algumas imagens de grafite, em que as leituras dos traços, linhas e afetos dessas figuras possibilitam diferentes traduções de movimentos corporais e sonoros.
direção: Thiago Negraxa - trilha sonora: DJRodz - intérpretes: Thiago Negraxa e Rodrigo Ribeiro

Som do Movimento - com Frank Ejara - Discípulos do Ritmo
O espetáculo Som do movimento tem a intenção de levar o público a um universo imaginário. Onde som e movimento se misturam e já não se sabe mais se o movimento cria o som ou o som cria o movimento. O dançarino tem o poder de manipular o som e com isso fazer sua coreografia na ausência de música propriamente dita.
concepção, coreografia e interpretação: Frank Ejara - pré-produção e edição: Frank Ejara e Rooney Yo Yo - sound design e trilha sonora: Marcos Henrique “DJ Som 3” Moretto - criação de luz: Alessandra Domingues - operador de luz: Mauricio Shirakawa

saiba mais A Cia. Discípulos do Ritmo foi formada em 1999. Desde sua criação conta com sete espetáculos, os quais já se apresentaram no Brasil, na Europa, na América Latina, na América do Norte e na Ásia. A Cia. tem feito parcerias e intercâmbios com diversos nomes da dança, como Ballet Stagium, Storm (Alemanha), Electric Boogaloos (USA), Henrique Rodovalho do Quasar, etc.

ORBIT [underconstruction] - com Chemical Funk
ORBIT foi originado da pesquisa que o grupo vem desenvolvendo e aprimorando desde 2011, relacionada aos fenômenos naturais do Universo, buscando transmitir através da linguagem da dança, o fascínio que o homem tem pelo Universo e a incessante busca por respostas e conhecimentos acerca de sua materialização, origem, amplitude e tempo de existência. O espetáculo utiliza a investigação das técnicas das Danças Urbanas, dentre elas o Locking, Popping & Boogaloo, Waacking e Breaking. Traz um conceito em que a pesquisa de movimentação e a temática do universo, interagem e se desenvolvem com a música, a arte e a plasticidade visual do espetáculo a ser produzido.
direção: Ivo Alcântara - intérpretes-criadores: Diego Oliveira, Evandro Ferreira, Ivo Alcântara, Nathalia Glitz, Tiago Meira e Zildo Faria - trilha sonora: Nelson D - fotografia: Mari Turco - designer de iluminação: Renato Lopes

saiba mais Formado no início de 2006, o Chemical Funk é destaque no cenário urbano da dança, o grupo é especialista nos estilos Locking, Popping, Waacking e Breaking e participa da Alianza Sudamericana de Danças Urbanas. Tem como filosofia difundir essas danças em suas diferentes manifestações culturais, seja nos improvisos em jam’s e batalhas, em apresentações artísticas e espetáculos cênicos, ou ministrando aulas. O objetivo do grupo é incentivar e fortalecer a produção cênica entre os grupos de Danças Urbanas.

seta subir

 

Seguindo o conceito desta Curadoria de Dança, nasce o projeto CCSP Dança – Da Percepção à Memória. O projeto – a ser desenvolvido em edições anuais – tem como objetivo criar um resultado artístico por meio de temáticas específicas e que tenha seu conteúdo alimentado dos registros do Arquivo Multimeios e do Núcleo Memória da Divisão de Acervos, Documentação e Conservação do CCSP.

A proposta prioriza o resgate intertemporal da dança na instituição, a partir de uma proposta artística da memória para a memória, sendo percebida na contemporaneidade e se concretiza por meio do intercâmbio de ações de várias divisões do CCSP.

Da Percepção à Memória 2016: uma Narrativa Dançada
Para a edição de 2016, o CCSP Dança – Da Percepção à Memória conta com a cocuradoria e pesquisa de Cristina Coelho – que ao longo de seus quase 20 anos colaborando nesta divisão, tornou-se a profissional mais especializada e conhecedora da história da Dança na instituição – e a mediação artística, criação e interpretação do resultado cênico de Lara Pinheiro – uma artista diferenciada que, além de ter fases diversas de sua trajetória vinculadas ao CCSP, se relaciona com as artistas celebradas como cria, criadora, compartilhadora e espectadora.

“Para este ano, o projeto Da Percepção à Memória: uma Narrativa Dançada escolheu selecionar trabalhos de bailarinas que de alguma maneira tivessem uma relação entre tempo e espaço com o CCSP e, para isso, desafiou as artistas Célia Gouvêa, Miriam Druwe, Vera Sala, Zélia Monteiro, Sônia Galvão e Cláudia Palma a responderem uma pergunta provocação – o que você gostaria, de sua história no CCSP, que ficasse para a memória? – ação que procura resgatar a memória artística, sentimental e afetiva dessas profissionais do fazer da dança que aqui se apresentaram, ou que usaram este espaço como ambiente de reflexão e de encontros para desenvolver novas criações, e que ainda hoje estão presentes em nossa programação com seus trabalhos ou a partir de seus discípulos.

O resultado desse desafio é o que poderá ser visto no tripé: tempo = exposição fotográfica/memória; espaço = documentário das artistas selecionadas; e conteúdo = solo coreografado pela bailarina, coreógrafa e professora Lara Pinheiro.” – Maria Cristina Lopes Coelho

Exposição Fotográfica
de 8/9 a 2/10
curadora e pesquisadora convidada: Cristina Coelho - expografia: Claudia Afonso - edição de imagem: Sossô Parma - projeto gráfico: Yeda Gonçalves - colaboração: Equipes da Divisão de Acervo, Documentação e Conservação do CCSP e da Divisão de Informação e Comunicação do CCSP
Terça a sábado, das 10h às 21h; domingos e feriados, das 10h às 20h - livre - Espaço Flávio Império (Foyer) - grátis, sem necessidade de retirada de ingressos

Curta-documentário
de 9 a 11/9 - sexta e sábado, às 20h e domingo, às 19h
idealização: Curadoria de Dança 2016 - concepção e realização: Equipe da Divisão de Informação e Comunicação do CCSP (captação de imagens e direção: Chicão Santos - entrevistas: Andrea Thomioka, Maria Cristina Lopes Coelho e Lara Pinheiro - edição: Giovanni Belleza e Thaís Orchi - apoio: Alberto Felipe da Silva Soares, Beatriz Poiato Orlando, Érika Muniz Lins, Juliene Codognotto, Kim Mansano e Sabrina Haick)
livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

Resultado Cênico: Sobre Elas/Nós, de Lara Pinheiro
de 9 a 11/9 - sexta e sábado, às 20h e domingo, às 19h
Este solo/dança/conversa/reflexão/trabalho surgiu do reencontro com seis colegas criadoras – Miriam Druwe, Célia Gouvêa, Zélia Monteiro, Sonia Galvão, Vera Sala e Claudia Palma – com suas lembranças particulares e principalmente com suas impressões sobre o ato de criar. Com cada uma, fiz refletir as minhas impressões particulares, como num espelho. Pretendo aqui dar corpo a essas memórias mais particulares, mais sensíveis e fazê-las ecoar novamente no palco do CCSP, que sempre acolheu generosamente todas nós ao longo desses nossos muitos anos de dança.
criação e interpretação: Lara Pinheiro - desenho de luz: Marcelo Esteves - cenário: Sandro Akel - figurinos: Gui Romano - imagens: Claudia Pinheiro e Sandro Akel
livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

A Curadoria de Dança, desde 2015, investe em projetos de Residências Artísticas em consonância com o seu eixo curatorial, promovendo espaço para estudo, experimentação, criação, compartilhamento e apresentação, ora abrigando cias. e artistas em seus processos, ora convidando profissionais referenciados para desenvolverem propostas com os artistas locais.

Assim sendo, além das três estreias de obras criadas na casa pelos residentes da Sala de Ensaio 1 do CCSP – iN SAiO Cia. de Arte, Projeto Mov_oLa e Cia. Dança sem Fronteiras –, propomos duas residências artísticas – com chamamento público aberto à classe – que resultam em espetáculos apresentados na programação do CCSP Semanas de Dança 2016.

Residência de Transmissão - com a cie. «à fleur de peau»
de 5/7 a 18/9
Desde sua criação, em 1988, em Paris, a companhia «à fleur de peau», dirigida por Denise Namura e Michael Bugdahn, desenvolve um trabalho pluridisciplinar. A partir de sua formação inicial em diversas áreas cênicas, os dois coreógrafos desenvolveram uma linguagem que lhes é específica: uma dança que, de certo modo, continua intensamente ligada ao gesto carregado de sentido, ao significado, a um tipo de semiologia do movimento. 

saiba mais Atividades desenvolvidas
Oficina artística de corpo a corpo, realizada em dois dias de agosto, para 40 participantes que puderam experimentar a linguagem da cia., além de conhecer sobre a trajetória e o repertório de trabalhos desenvolvidos.

Residência artística de corpo a corpo, realizada entre agosto e setembro com 18 participantes selecionados da Oficina artística de corpo a corpo, que, além das atividades diárias e a preparação necessária ao gestual próprio da companhia, passaram pela transmissão de extratos e peças do repertório para a temporada de espetáculos.

Espetáculos
dias 16 e 18/9 - sexta, às 21h e domingo, às 20h
Si un jour je te quitte je te garderai en moi à nu à vif à jamais - Variação em torno de uma canção de Jacques Brel
Variação em torno de uma canção de Jacques Brel. Inicialmente concebida como um exercício de estilo, esta peça coreográfica se torna rapidamente um mergulho nas profundezas mais íntimas do ser humano. É também uma reflexão poética sobre os lados masculino e feminino presentes em cada um de nós. Sua complementaridade, suas contradições e conflitos. Que faz o indivíduo face a face aos dois seres que o habitam? 1 – air/ar; 2 – de rien (mon joli flamant rose)/de nada (meu lindo flamingo rosa); 3 – souffle, souffle/sopro, sopro; 4 – du vent, pandore!/vai embora, pandora!; 5 – aria/aria
concepção e coreografia: Michael Bugdahn - interpretação: Michael Bugdahn, Denise Namura e artistas convidados - músicas: Jacques Brel (diversos intérpretes) - realização da trilha sonora: Michael Bugdahn - desenho de luz: Michael Bugdahn - figurino: Denise Namura, Danila Massara - produção executiva: Cássia Andrade - operadora de som e luz: Olívia Maciel
Être et paraître (Ser e parecer)
Nesta peça, os coreógrafos propõem uma reflexão dançada sobre a imagem. O fundo e a superfície, o ser e o parecer… Será que nesta nossa época do tempo real e das realidades virtuais, ainda podemos confiar nas aparências?
concepção e coreografia: Michael Bugdahn, Denise Namura - interpretação: Michael Bugdahn, Denise Namura e artistas convidados - músicas: Gregor Sternisha - desenho de luz: Michael Bugdahn - figurino: Jean-Jacques Delmotte - produção executiva: Cássia Andrade - operadora de som e luz: Olívia Maciel
Au-delà du temps (Além do tempo)
O presente é um passado que está para vir. O passado, um futuro já consumido e o futuro, um presente que nos espera de braços abertos. Esta coreografia não tenta criar uma ligação entre ontem e hoje, mas se situa além do tempo. Uma peça que propõe uma ótima percepção da linguagem e do universo específico dos coreógrafos, que continuam sempre defendendo sua autenticidade.
concepção e coreografia: Michael Bugdahn, Denise Namura - interpretação: Michael Bugdahn, Denise Namura e artistas convidados - textos e realização trilha sonora: Michael Bugdahn - desenho de luz: Michael Bugdahn - figurino: Denise Namura - produção executiva: Cássia Andrade - operadora de som e luz: Olívia Maciel

Obras criadas em residência no Théâtre du Lierre, em Paris - apoio: Ville de Paris – Direction des Affaires Culturelles, CCN de Rillieux-la-Pape/Cie. Maguy Marin, Fondation BNP Paribas, Fondation E.C. Art Pomaret, Embaixada do Brasil na França, Centre National de la Danse, Centre d’animation Sohane Benziane (Paris XVe), Théâtre de l’Enfumeraie (Sarthe), Espace Georges Brassens (Essonne), Association Danse Dense, ADAMI, Conseil Regional des Pays de la Loire, Aza Productions, Embaixada do Brasil na França.

75min - a partir de 6 anos - Sala Jardel Filho (321 lugares) - R$20,00 - a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30), e no site Ingresso Rápido a partir de 30 dias antes do evento (mesmo no caso de temporadas longas) - obs.: no dia 18/9, domingo, haverá audiodescrição

 

Residência Artística Attack On Dance.BR, de Ney Hasegawa
de 11/7 a 2/10
Em 2015, a convite da Fundação Japão – São Paulo, a Curadoria de Dança do Centro Cultural São Paulo acompanhou a 20ª edição do Encontro Internacional de Profissionais de Artes Cênicas em Yokohama – TPAM 2015. Desde então, estabeleceram-se discussões para a viabilização de parcerias, visando à efetivação de ações de intercâmbio cultural.

Dentre tantos trabalhos e artistas, o coreógrafo e diretor Ney Hasegawa foi o escolhido para iniciarmos esta tão valorosa e enriquecedora interação artístico-cultural.

A proposta da residência artística Attack On Dance.BR, com Ney Hasegawa, é a releitura da obra original, com dez dançarinos locais, de diversas linguagens da dança, que se apresentam na programação do CCSP Semanas de Dança 2016.

saiba mais Ney Hasegawa é roteirista, diretor, coreógrafo e performer. Como diretor artístico, Ney dirigiu No Lights, de Elfriede Jelinek, Woyzeck, de Karl Georg Büchner, HIKIKOMORI, de Holger Schooner, Under Execution, Under Jailbreak, de Hirohiko Araki. Ele também tem realizado coreografias para teatro e músicos, incluindo Kuragehime (filme), Around 30 chan (TV Drama), Fujifabric, bonobos e EGO-WRAPPIN. Como ator interpretou Jerome Bel, Hideki Noda (NODA - MAP), Mikuni Yanaihara (Nibroll/Mikuni Yanaihara Projeto), Hiroshi Koike (Pappa Tarahumara) e muito mais.

Attack On Dance.BR
dias 1º e 2/10 - sábado, às 20h, e domingo, às 19h
Pode a Dança mudar o mundo?
Attack On Dance é uma obra com temática focada na “diversidade”, interpretada por bailarinos e dançarinos de diversas linguagens, selecionados por cada país em que se apresenta. Durante o processo, os integrantes são provocados a responder várias perguntas e a criar seu próprio solo, que será dançado na parte final da obra coreográfica com uma música comum a todo o elenco, descrevendo em cena a “diversidade” da dança. Às vezes, a existência da forma como dançamos descreve a ironia do mundo.

direção, coreografia e roteiro: Ney Hasegawa - direção de palco: Raquel Balekian - direção de luz: André Boll - som: Rodrigo Gava - organização, apresentação, coreografia: Ney Hasegawa - dramaturgia: Kae Ishimoto - imagem: Akira Nakazawa - direção musical: Takahiro Yoshida - iluminação: Kenta Okuda (colore) - arte publicitária: Hajime Ohta (01Ga Graphics) - assistência de produção: Mizuho Sasaki - produção: Annette.Co - realização: FujiyamaAnnette

60min - livre - Sala Adoniran Barbosa - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento
ensaio aberto: 30/9, às 20h

 

Abissal - com iN SAiO Cia. de Arte
de 8 a 18/9 - terça a sábado, às 21h, domingo, às 20h
Abissal prevê um ambiente de aprofundamento, exploração e pesquisa em torno da potência do corpo e suas consequências nas criações da iN SAiO Cia. de Arte. O desejo é habitar uma nova região, profunda e desconhecida. Nova região no que se refere aos modos e meios de produção de Claudia Palma e dos intérpretes, e nova porque propõe, nesse momento, a improvisação como desafio e risco. A dramaturgia é desenhada a cada dia, trazendo a possibilidade de descobertas de diferentes espaços poéticos.

direção geral: Claudia Palma - intérpretes-criadores: Cristina Ávila, Mariana Molinos, Natália Franciscone, Renato Vasconcellos, Thiago Sancho, Flavia Lucato - música original e ao vivo: Mariá Portugal, Guilherme Marques - cenografia: Suiá Ferlauto - desenho de luz: Hernandes Oliveira - operação de luz: Rafael Petri - provocação filosófica: Rodrigo Vilalba - provocação: Cristiane Paoli-Quito - anatomia experencial: Letícia Sekito - tai chi chuan: Jaime Kuk - estagiária: Mariana Bucci - fotografias: Claudio Higa - assistência de produção: Cristina Ávila - produção: Cristiane Klein (Dionísio Produção Cultural)

saiba mais A iN SAiO Cia. de Arte é dirigida por Claudia Palma desde 2010. A contemporaneidade é o alicerce da sua pesquisa e, sendo assim, torna-se voz e inspiração de artistas que buscam o fortalecimento da identidade artística da companhia. O desejo da iN SAiO é o hibridismo, propiciando aos artistas envolvidos uma fusão de experiências diversas, quando então o corpo poderá encontrar um movimento constante e um olhar observador do mundo contemporâneo.

Projeto contemplado pela 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança - apoio: Cooperativa Paulista de Dança, Centro Cultural São Paulo, Galeria Olido, Departamento de Expansão Cultural, Aldeia Beleza, Apfel Restaurante Vegetariano, Planeta’s Restaurante, Cantina Luna di Capri, Cantina Piolin. Realização: Programa Municipal de Fomento à Dança, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

70min - 16 anos - Espaço Missão (90 pessoas) - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

 

Devolve duas horas da minha vida - com Projeto Mov_oLA
de 30/9 a 2/10 - sexta a sábado, às 21h; domingo, às 20h
Continuando sua pesquisa no cruzamento entre a Dança e Cinema, o Projeto Mov_oLA apresenta uma releitura do clássico Janela Indiscreta, do mestre Alfred Hitchcock, transposta para os dias atuais. Dividido em três atos com pausas para selfies, Devolve duas horas da minha vida questiona e convida você a usar seu celular durante a obra a partir de um App especialmente criado para essa finalidade.

direção e concepção: Alex Soares - elenco: Átila Freire, Ícaro Freire, Maria Basulto, Paula Sousa, Paula Zonzini e Wilson Aguiar - vídeos: Alex Soares - design de luz: Rossana Boccia - trilha sonora: Alex Soares - cenário: Wilson Aguiar -
figurino: Cassiano Grandi  - produção: Paula Sousa/Filemon 7 Produções - integração fisiopsíquica: Paula Zonzini - danças urbanas: Eliseu Correa - preparação teatral: Luciana Canton - desenvolvimento app: Alex Soares - hospedagem app: AppMachine - fotografia: Clarissa Lambert

Devolve duas horas da minha vida integra o projeto homônimo, contemplado pela 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança – SMC. Este projeto propõe um novo trabalho onde dança contemporânea e tecnologia estão mais uma vez interligadas. Para isso se pensou em adaptar/desconstruir para o espaço cênico um filme clássico do cinema, Janela Indiscreta, de Alfred Hitchcock.  Além da criação de um aplicativo interativo, o Mov_oLApp e um Flipbook.

saiba mais O Projeto Mov_oLA é uma plataforma artística de criação sob direção do coreógrafo Alex Soares e vem realizando desde 2008 uma pesquisa de linguagem integrando a dança com outros formatos digitais. Com o apoio de um núcleo de artistas e colaboradores para produções específicas, funciona como uma incubadora de projetos, sempre buscando propostas inéditas.

60min - a partir de 10 anos - Espaço Missão (90 pessoas) - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento
obs.: Este espetáculo segue em temporada até o dia 6/11

 

Residência Artística - com Cia. Dança sem Fronteiras
de 28/9 a 2/10

Frestas do Olhar
de 28/9 a 2/10
Espetáculo com estreia no CCSP desenvolvido para espaços públicos diversos. A Cia. investiga as relações entre o espaço corporal e o espaço urbano. O desenvolvimento da percepção do corpo com sua estrutura única e que nos permite estabelecer relações com o outro e com o ambiente que nos rodeia. Toda a pesquisa teve como base o princípio de que não há um corpo certo ou errado, mas sim um corpo único.

direção, coordenação e atuação: Fernanda Amaral - assistente de direção, assistente de coordenação e atuação: Beto Amorim - atuação: Camilla Rodrigues, Jaqueline de Souza, Lucineia dos Santos, Icaro Rodrigues e Gabriel Sousa - trilha original: Beto Sporleder e Daniel Muller (integrantes do grupo Aderiva) - fotografia: Ricardo Teles - produtor: Roberto Campos - produção geral: Cia. Dança sem Fronteiras - figurino e cenografia: David Schumaker

quarta a sexta, às 18h; sábado, às 16h; e domingo, às 12h - 45min - livre - Rampas das Bibliotecas, corredores e área de convivência - grátis, sem necessidade de retirada de ingresso

Novas Fronteiras do Olhar - JAM de dança para todos
dia 2/10 - domingo - 14h
As JAMs de movimento e dança incentivarão a pesquisa de movimento e a transformação da ação através da reflexão e da experiência. As jam’s e as oficinas serão conduzidas pela coreógrafa Fernanda Amaral com participação dos bailarinos com e sem deficiência do elenco da Cia. Dança sem Fronteiras e com música ao vivo.

Frestas do Olhar e a JAM de dança para todos integram o projeto intitulado Novas Fronteiras do Olhar, contemplado pelo 19º Edital de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo em parceria com o Centro Cultural São Paulo, Universidade Anhembi Morumbi, Mais Diferenças, MAM Educativo e Cooperativa Paulista de Dança. Trata-se de uma iniciativa que visa  a promover a dança contemporânea como um bem cultural acessível a todos, e fortalecer a diversidade e a ampliação dos horizontes artísticos e sociais para além dos rótulos, através de diversas ações pela cidade de São Paulo.

saiba mais Em 2010, em São Paulo, Fernanda Amaral, bailarina, coreógrafa e educadora criou a Cia. Dança sem Fronteiras. A Cia. desde sua criação realiza oficinas de dança e apresentações em teatros, museus e diversos SESCs da capital e interior. Além da participação nos festivais Sencity no MAM, Vozes do Corpo e Mostra Internacional Mais Sentidos no Teatro Sergio Cardoso. A Cia. foi contemplada com o Prince Claus Fund for Culture and Development (Holanda) e com o ProAc de Produção de espetáculo de dança para o espetáculo Olhar de Neblina, em 2013; e em 2016, com o 19º Edital de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo com o Projeto Novas Fronteiras do Olhar, que inclui oficinas, jams, encontros, fóruns e estreia do espetáculo Frestas do Olhar.

90min - livre - Espaço Flávio Império (Foyer) - grátis, sem necessidade de retirada de ingresso

seta subir

 

Ziggy e Além da Pele - com Cisne Negro Cia. de Dança
de 9 a 11/9 - sexta e sábado, às 21h, domingo, às 20h
Cisne Negro Cia. de Dança sucesso de crítica e de público, em 2016 o grupo comemora 39 anos de existência olhando para o futuro, sempre pronto para levar a sua inovadora dança aos quatro cantos do planeta! Entre seus traços marcantes estão a diversidade e a inovação. Ao longo de sua trajetória, detém alguns dados marcantes: já foi assistida por um público superior a 2,5 milhões de pessoas em aproximadamente 17 países, passando por mais de 400 cidades, em cerca de 4 mil apresentações, numa média de 100 apresentações/ano. Considerada uma das melhores companhias contemporâneas do País, dentro da filosofia da Cisne Negro Cia. de Dança encontram-se a originalidade, a tradição e a preocupação de formar novas plateias, buscando públicos capazes de apreciar a inovação e a beleza.

direção artística: Hulda Bittencourt e Dany Bittencourt - direção de ensaios: Dany Bittencourt - assistente de ensaios: Patrícia Alquezar - professores convidados: Armando Duarte, Beatriz Villela, Boris Storokov, Christian Camus, Demis Moretti, Felix Valentim, Gisele Santoro, Lea Havas, Lorena Merlino, Márcio Rongetti, Mariza Silva, Mônica Kodatto, Paula D’Ajello, Sara Mazon, Roberto Amorim, Sérgio Marshall, Simone Ferro, Toshie Kobayashi, Vladimir Condereche -
elenco: Ana Paula Trevisan, André Santana, César Dias Cirqueira, Claudia Sibille,Clarissa Braga, Debora Roots, Felipe Silva, Jackeline Coutinho, Leonardo Silveira, Lorena Costa, Matheus Rocha, Maurício Cordeiro, Murilo Nunes, Thiago Barcelos, Willian Gásparo - pianistas: Maria Inês Vasconcellos, Nilza Fernandes, Rosely Chamma - confecção de figurinos: Camarim Artigos para Dança - camareira e coordenadora de figurinos: Anarita Grigório do Nascimento - fotógrafos: Mauro Turzi, Reginaldo Azevedo, Tomas Kolisch Jr - responsável técnico: Eduardo Ferreira - controler: Ivana dos Santos - assessoria executiva e projetos culturais: Maria Aparecida Fiorentin - assessoria internacional e novos negócios: Maria Fernanda Sáfadi

Ziggy (2016)
Este novo trabalho é baseado na discografia de um dos maiores ícones da música mundial, David Bowie. Um artista extremamente eclético, inovador, inquieto, muito à frente de seu tempo, que influenciou toda uma geração.
coreografia: Mário Nascimento - músicas: David Bowie - figurinos: Fabio Namatame - design maquiagem: Chloe Gaya

Intervalo de 20min

Além da Pele (1999)
Cada um é a sua própria imaginação.
Além da Pele, do coreógrafo francês Patrick Delcroix, foi criada especialmente para a Cisne Negro Cia. de Dança. Segundo o próprio Patrick, a essência da coreografia pode ser traduzida pelas seguintes palavras: “Além da aparência, nós podemos ser qualquer outra coisa, ter outra personalidade, ter outros desejos, ou sermos nós mesmos. Cada um é a sua própria imaginação”.

coreografia: Patrick Delcroix - música: Eddie Fowlkes, Doctor L, Liam Farrel, Suba, Arnaldo Antunes, Muki - trilha sonora: Eduardo Ferreira Paes Júnior - iluminação: Joyce Drummond - figurino: Patrick Delcroix, Camarim Artigos para Dança

80min - livre - Sala Jardel Filho (321 lugares) - R$15,00 - a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30), e no site Ingresso Rápido a partir de 30 dias antes do evento (mesmo no caso de temporadas longas)

seta subir

 

Fluxo Invisível - com Núcleo OMSTRAB
de 15 a 18/9 - quinta a sábado, às 20h, domingo, às 19h
Espetáculo de música e dança contemporânea, tendo como fonte inspiradora a relação do homem com a água. A partir de uma pesquisa sobre os rios ocultos de São Paulo e toda a problemática hídrica, criou-se uma dinâmica onde os fluxos sonoros e de movimento trazem à tona, de forma poética, uma das questões mais urgentes do mundo contemporâneo.

artistas: Alex Martins, Fernando Lee, Pedro Peu, Rossana Boccia, Thais Diniz, Thiago Duar e Vagner Cruz - roteiro e edição de vídeo: Daniel Carvalho - produção de vídeo: Audrey Wolf - direção de arte: Rodrigo Araújo - cenografia: Leonardo Ceolin - pesquisa de figurinos: Adriana Vaz e Rogerio Romualdo - iluminação: Marisa Bentivegna - assistente de produção: Bianca Muniz e Emilene Gutierrez - provacador teatral: Francisco Medeiros - preparação corporal: Glauco Muller Bottura - consultoria corporal: Márcio Greyck - fotos: Gal Oppido - assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli e Renato Fernandes - assistentes de produção: Bianca Muniz, Emilene Gutierrez e Nancy Silva - produção executiva: Andrea Pedro - direção geral: Fernando Lee

O espetáculo Fluxo Invisível integra o projeto homônimo, aprovado na 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança - SMC, que trata da sagração de 20 anos de história do Núcleo OMSTRAB: Pesquisa e produção de nova criação Fluxo Invisível, circulação de repertório, livro e vídeo de registro da trajetória, cd, exposição, work in progress com convidados e produção de videodança inédito.

O Núcleo OMSTRAB, sediado na cidade de São Paulo, em 20 anos de atividade realizou 11 produções em que contou com a participação de mais de uma centena de profissionais das mais diversas áreas do universo cultural paulista. Durante esse período, sempre desenvolveu um trabalho de pesquisa seguindo um conceito de integração de linguagens - Dança Contemporânea, Música ao vivo e Teatro, dedicando-se à criação de um Musical Brasileiro Contemporâneo.

livre - Sala Adoniran Barbosa
grátis, sem necessidade de retirada de ingresso
obs.: dia 14/9 (quarta), às 19h – show de lançamento do CD, abertura da exposição e lançamento do livro; às 20h – exibição do documentário - Sala Adoniran Barbosa

seta subir

 

Brasílica Extemporâneo - com Cia. Brasílica
dias 15 e 17/9 - quinta e sábado - 19h
A partir de indagações e atravessamentos gerados nos encontros de corpos com vivências distintas, a Cia. busca o movimento para o novo com marcas e reflexos do que foi, desenvolvendo esta obra sobre a suspensão de muitos tempos, para dar espaço ao que está por vir, ao inesperado.

concepção: Lucila Poppi - direção geral: Deca Madureira - intérpretes-criadores: Deca Madureira, Elson Leite, Jo Gomes, Lucila Poppi, Lucimeire Monteiro e Nany Oliveira - trilha sonora: Adriano Salhab - figurino: Gustavo Silvestre - cenografia: Cia. Brasílica - produção geral: Lucila Poppi - produção executiva: Márcio Peres

Projeto contemplado pela 19ª Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança – SMC - apoio: Cooperativa Paulista de Dança - realização: Cia. Brasílica, Fomento à Dança, Prefeitura do Município de São Paulo - Secretaria Municipal
de Cultura.

Brasílica Extemporâneo integra o projeto intitulado Movimento Brasílica no qual – buscando a evolução de seu trabalho – a Cia. Brasílica reavalia suas origens desde a fundamentação do Método Brasílica, em Recife, aos possíveis desdobramentos teóricos e práticos do uso das danças populares como matéria-prima para a criação em dança.

A Cia. Brasílica foi fundada em 2006 e atua junto às manifestações populares brasileiras no que diz respeito à pesquisa, à difusão e à investigação em dança, e tem a direção artística de Deca Madureira. Incentiva o estudo das estéticas populares para a formação do cidadão consciente do contexto sociocultural e histórico em que está inserido e para afirmação de novos caminhos para a dança.

55min - livre - Sala Jardel Filho (321 lugares)
grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento - obs.: no dia 17/9, sábado, haverá audiodescrição

seta subir

 

Procedimento Dois Para Lugar Nenhum
dias 16 a 18/9; 20 a 25/9; e 30/9 a 2/10
“Tempo suspenso expõe fendas no corpo. No alargamento deste intervalo do tempo, o corpo se exaure, esvazia, dissolve seus contornos e limites. O silêncio, o desaparecimento e a inoperância se instauram não como passividade, mas como resistência.
Conceito da trajetória de pesquisa: O corpo esquece, reinventa memórias e modifica-se num contínuo confrontar-se com ele mesmo, com outros pensamentos, outros corpos, outros afetos, presença de ausências, silêncios que se fazem presentes... É de sua natureza existir como configurações sempre provisórias, impermanentes. Nunca se conclui, é campo aberto de dúvidas e perguntas. Sabe que é impossível reverter o tempo. É testemunha de desaparecimentos. Arquivo de esquecimentos.” – Vera Sala

concepção: Vera Sala - arquitetura e luz: Hideki Matsuka - estímulo à autopercepção do movimento: Jose Antonio Lima -
produção: Dora Leão/Platôproduções - assistente de produção: Marcelo Leão - agradecimentos pela colaboração artística: Luiz Päetow

Procedimento Dois Para Lugar Nenhum integra o projeto Desmemórias do Tempo, realizado com a 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança – SMC. Participam do Projeto: Diego A. Marques, Dora Leão, Grazi Vieira, Hideki Matsuka, José Antonio Lima, Rubia Braga, Valeska Figueiredo, Vera Sala.

Vera Sala é criadora e pesquisadora em dança com um percurso de pesquisa e criação artística desde 1987. Entre suas criações, destacam-se Impermanências (2005), Pequenas Mortes (2007), Procedimento Dois – Pequenas Mortes (2008), Pequenos Fragmentos de Mortes Invisíveis (2009/2010), Descontinuidades (2011/2012), Dobras (2011/2012), Estudo Para Lugar Nenhum (2014). Recebeu o prêmio APCA-2014 (Associação Paulista dos Críticos de Arte), juntamente com o arquiteto Hideki Matsuka, pelo percurso de trabalhos realizados. Em 2005 e 1999 recebeu o prêmio APCA nas categorias pesquisa em dança e criadora-intérprete, respectivamente. Recebeu o prêmio Mambembe na categoria pesquisadora performer em 1998. Professora do Curso de Comunicação das Artes do Corpo, na PUC/São Paulo, desde 1999.

nos dias 16, 17 e 18/9- sexta e sábado, às 19h, domingo, às 18h/de 20 a 25/9 - terça a sábado, às 21h, domingo, às 20h/de 30/9 a 2/10 – sexta e sábado, às 19h, domingo, às 18h - 10 anos - Anexo da Sala Adoniran Barbosa (40 lugares) - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

Percursos Transitórios - com Núcleo de Improvisação - Zélia Monteiro
de 23 a 25/9 - sexta e sábado, às 21h; domingo, às 20h
Nesta criação, elementos da linguagem do balé foram estudados, a fim de servir como agentes provocadores da improvisação cênica. Não se trata de uma abordagem dessa linguagem no seu contexto usual – no sentido da codificação de seus movimentos, específicos de uma época –, mas sim de seu universo de ensino e aprendizagem. A tradição, com sua base de valores já estabelecidos, é desafiada por outros fluxos.

concepção e criação de dança: Zélia Monteiro - criação de luz: Hernandes de Oliveira - criação musical: Felipe Merker Castellani - criação figurino: Joana Porto - criação cenográfica: Núcleo de Improvisação - cenotécnico: Urso Costa - assistente de ensaios: Key Sawao - fotos: Camila Picolo e Vitor Vieira - assessoria de imprensa: Nossa Senhora da Pauta - produção: Ação Cênica Produções Artísticas - assistente de produção: Rafael Petri

Projeto contemplado pela 19ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança – SMC.

saiba mais O Núcleo de Improvisação é um grupo de pesquisa em dança contemporânea orientado por Zélia Monteiro, que surgiu em 1998 com a necessidade de alguns artistas em aprofundar e dar continuidade à pesquisa de linguagem iniciada com Klauss Vianna. Estuda a improvisação não apenas como procedimento para explorar e criar novas gramáticas de movimentos, mas fundamentalmente como estrutura de composição do espetáculo.

saiba mais Zélia Monteiro estudou dança clássica e foi assistente de Maria Melô, aluna de Cecchetti no Scalla de Milão. Trabalhou por oito anos com Klauss Vianna, de quem também foi assistente, participando de seu grupo de pesquisa e criação. Após sua morte mudou-se para Paris onde trabalhou com Mme. Marie Madelaine Béziers, Mathilde Monnier, Peter Goss, Daria Faïn e com Yvonne Berge. Foi premiada pela APCA em 1987, 1992, 1998 e 2010. Dá aulas regulares de balé na Sala Crisantempo e é professora no curso de Comunicação das Artes do Corpo - PUC/SP. Dirige o Núcleo de Improvisação desde 1998.

50min - livre - Sala Jardel Filho (321 lugares) - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

Gala de Balé
dias 22 e 24/9 - quinta e sábado - 21h
A Gala de Balé é um projeto da Curadoria de Dança do CCSP e nesta edição é formada pelos selecionados por meio do Edital 2016 - CCSP Dança em GALA DE BALÉ. Trata-se de um chamamento público à classe artística que teve seu período de inscrições entre 10 de junho e 24 de julho.

Em sua segunda edição – em formato profissional – a Gala de Balé ainda obteve um número tímido de artistas inscritos, contrapondo ao grande público interessado em prestigiá-la. Na edição de 2015, foi a terceira maior plateia do CCSP Semanas de Dança, ficando atrás somente da EDASP e do Balé da Cidade de São Paulo.

Os artistas presentes na Gala de Balé 2016 foram selecionados pela Comissão de Análise e Avaliação formada pela pós-doutora em artes Cássia Navas e pelo doutorando em dança, teatro e performance Henrique Rochelle.

A Curadoria de Dança 2016 agradece a gentileza, a disponibilidade e o profissionalismo dos parceiros responsáveis pela realização deste projeto, em especial: Cássia Navas, Henrique Rochelle, Liliana Testa, Vanessa Porcino, Rubem Barreto e Ana Carolina Leimann.

Chamas de Paris - com Rubem Barreto
Variação Masculina – excerto do Grand Pas de Deux
Chamas de Paris (título original russo: Plamya Parizha) é uma obra do repertório tradicional do balé clássico em quatro atos, baseado em canções da Revolução Francesa. A obra completa é inspirada no livro Les Marceliers, de Felix Gras, e Nicolai Volkov e Vladimir Dmitriev assinam o libreto. Foi estreado em 1932 no Teatro Kirov, em Leningrado.
coreografia: Vasily Vainonen - música: Boris Asafiev - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

Agora é sem tempo - com Grupo Íris Ativa Dança
“... Nós somos o mundo. Temos de começar pelo que é real, pelo que está acontecendo agora e o agora é sem tempo.” (Krishnamurt)
elenco: Camila Serra e Carlos Santos - coreografia: Ana Lúcia Ferraz - direção: Liliana Testa - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

Amigas de Kitri - com Ana Carolina Leimann
Variação Feminina – excerto do Grand Pas de Deux
Inspirado na novela Don Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes, Don Quixote é uma obra do repertório tradicional do balé clássico em quatro atos e oito cenas. Estreada em 1869 pelo Ballet Imperial do Teatro Bolshoi, em Moscou, a obra é marcada por traços hispânicos em uma narrativa que aborda heroísmo, romance e ilusão, e que sobreviveu à Revolução Russa de 1917, tornando-se parte do repertório permanente mundial. Esta variação é um excerto do famoso Grand Pas de Deux do III Ato.
coreografia: Marius Petipa - música: Ludwig Minkus - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno
Lago dos Cisnes - com Vanessa Porcino e Rubem Barreto
Pas de Deux do II Ato

O Lago dos Cisnes (título original russo: Lebedinoye Ozero) é uma obra dramática do repertório tradicional do balé clássico em quatro atos, com o libreto de Vladimir Begitchev e Vasily Geltzer. A coreografia é assinada por Marius Petipa – atos I e III – e Lev Ivanov – atos II e IV. Sua estreia ocorreu em 1977, no Teatro Bolshoi, em Moscou.
coreografia: Lev Ivanov - música: Piotr Ilitch Tchaikovsky - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

Um olhar sobre o outro - com Grupo Íris Ativa Dança
Entramos em um padrão de conduta que nos leva a uma ação repetitiva, Um olhar sobre o outro tenta frear essa rotina na tentativa de uma redescoberta. Uma busca que pode nos tornar mais solitários.
elenco: Daniela Steck, Cristiana Pacheco, Camila Serra, Karyne Vasconcelos, Keila Muniz e Abner Ferreira - coreografia: Ana Lúcia Ferraz - direção: Liliana Testa - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

Intervalo de 10 minutos

Don Quixote - com Grupo Íris Ativa Dança
Grand Pas de Deux do III Ato
Esta é a parte principal do balé completo, tratando-se do famoso Grand Pas de Deux do III Ato, em que todos celebram, enfim, o casamento de Kitri e Basílio, personagens principais da obra.
elenco: Camila Serra e Abner Ferreira - direção: Liliana Testa - coreografia: Marius Petipa - música: Ludwig Minkus - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

Bodas de Aurora - com Vanessa Porcino e Rubem Barreto
Grand Pas de Deux do III Ato
A Bela Adormecida é uma obra do repertório tradicional do balé clássico em um prólogo e três atos. Inspirado no livro Contos da Mãe Ganso – sob título de A Bela Adormecida no Bosque –, do escritor francês Charles Perrault, é um conto de fadas com libreto de Marius Petipa e Ivan Vsevolojsky. Sua estreia ocorreu em 1890, no Teatro Mariinsky, em São Petersburgo. Esta é a parte principal do balé completo, tratando-se do famoso Grand Pas de Deux do III Ato, em que todos celebram o fim da maldição por um beijo de amor verdadeiro e, então, as bodas da princesa Aurora com o príncipe Desiré, personagens principais da obra.
coreografia: Marius Petipa - música: Piotr Ilitch Tchaikovsky - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

Ghaya - com Grupo Íris Ativa Dança
Meu nome é destino, vou nascer e morrer, mas não necessariamente nesta ordem. Vou cair e levantar, mas não necessariamente no mesmo lugar. Sou a força, sem ser homem ou mulher. Sou o fim, arquitetando o recomeço.
elenco: Daniela Steck, Cristiana Pacheco, Camila Serra, Karyne Vasconcelos e Keila Muniz - coreografia: Ana Lúcia Ferraz - direção: Liliana Testa - design de luz: equipe de iluminação CCSP - programador e operador de luz: Guilherme Paterno

60min - livre - Sala Jardel Filho (321 lugares) - grátis, com retirada de ingressos a partir das 14h do dia do evento

seta subir

 

CCSP Dança em Residência Artística

cie. « à fleur de peau » em Residência de Transmissão
até setembro
A Residência de Transmissão com a cie. « à fleur de peau » compreende três atividades: as oficinas artísticas «de corpo a corpo», a residência artística «de corpo a corpo» - a transmissão e as apresentações dos espetáculos. Ao se inscrever para as oficinas, os interessados podem ser selecionados posteriormente para participar da residência artística e da temporada das peças coreográficas com a companhia, dançando as obras “transmitidas” durante o processo, dentro do evento CCSP Semanas de Dança 2016.

público: bailarinos - Sala de Ensaio 1 (oficina e residência artística) e Sala Jardel Filho (temporada das peças coreográficas)
inscrições: de 5 a 31/7, enviar e-mail para inscricao.dancaccsp@gmail.com, com o assunto Inscrição para “de corpo a corpo”, contendo no corpo da mensagem nome completo, número do RG e CPF, idade, celular, currículo resumido (de até dez linhas) e breve carta de interesse (de até cinco linhas). É necessário ter disponibilidade para participar da residência artística e da temporada das peças coreográficas com a companhia - seleção: por avaliação das informações enviadas. Os selecionados serão comunicados por e-mail até o dia 15/8. Serão selecionadas até 40 pessoas para a oficina e, entre estas, 18 a 20 para a residência artística.

PROGRAMAÇÃO

Oficina artística «de corpo a corpo»
dias 23 e 24/8 - terça e quarta - das 10h às 14h

Residência artística «de corpo a corpo» - a transmissão
de 25 a 31/8 e de 1º a 15/9 - de terça a sexta, das 10h às 14h; e sábado e domingo, das 14h às 18h

Temporada das peças coreográficas Si un jour je te quitte je te garderai en moi à nu à vif à jamais, Être et paraître e Au-delà du temps
de 16 a 18/9 - sexta e sábado, às 21h; domingo, às 20h

Sobre os artistas que integram a cie. « à fleur de peau »
Denise Namura (brasileira) e Michael Bugdahn (alemão) são bailarinos/coreógrafos radicados em Paris. Formaram-se em diversas linhas de dança, mas também em teatro físico e mímica corporal. Fundaram a cie. « à fleur de peau » em 1988. No seu repertório contam com mais de quarenta coreografias. Criaram também peças para companhias como o Balé da Cidade de São Paulo, Cia. Cisne Negro, Grupo 1° Ato, Cia. de Danças de Diadema, Bernballett, Rotterdamse Dansacademie, Cirka Teater e para a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo. Os dois coreógrafos consideram igualmente a pedagogia como um aspecto essencial de sua pesquisa. Desde a criação da companhia, eles se dedicam a diversas ações pedagógicas e de sensibilização em torno de seu trabalho de criação.

 

Projeto Abissal - iN SAiO Cia de Arte
até outubro
O projeto Abissal, como parte de suas atividades desenvolvidas no CCSP, pretende resgatar o público deste tipo de linguagem, além de valorizar as ações voltadas à pesquisa, concepção e experimentação artística. Prevê a instauração de um ambiente permanente de aprofundamento, exploração e pesquisa em torno da potência do corpo e suas consequentes criações no trabalho da iN SAiO Cia. de Arte, dirigida por Claudia Palma. O desejo nesse momento é habitar uma nova região (abissal, profunda, desconhecida). Nova região no que se refere aos modos e meios de produção de Palma e dos intérpretes que compõem a iN SAiO, e nova também porque, propondo verticalizações ainda não experimentadas, prevê o risco como elemento e mote de exploração.
direção geral, concepção e coreografia: Claudia Palma - intérpretes criadores: Cristina Ávila Felipe Teixeira Mariana Molinos Natália Franciscone Renato Vasconcellos Thiago Sancho – colaborador convidado: Rodrigo Vilalba (filósofo)
projeto contemplado na 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança - SMC

 

Novas fronteiras do olhar - Cia Dança sem Fronteiras
até dezembro
Novas fronteiras do olhar tem o intuito de promover a dança contemporânea como um bem cultural acessível a todos e fortalecer a diversidade e a ampliação dos horizontes artísticos e sociais para além dos rótulos. Em fase de início de processo a Cia Dança sem Fronteiras tem como proposta realizar ao longo do ano: espetáculos; intervenções; oficinas abertas e para profissionais; encontros - Dança e arte sem fronteiras - uma vivência de arte e educação inclusivas e Jam(s) de dança – Para todos.
direção: Fernanda Amaral
projeto contemplado no 19º Edital de Fomento à Dança - SMC

 

Devolve duas horas da minha vida – Projeto Mov_ola residência artística
até dezembro
Esta proposta visa o desenvolvimento das atividades relacionadas ao processo de criação do Projeto Devolve duas horas da minha vida, cujo ponto de partida da pesquisa é aprofundar a filosofia da companhia, ressaltando: a integração da dança com outros formatos de produção artística, sobretudo as audiovisuais e digitais. A inspiração dramatúrgica vem da possibilidade de adaptar/desconstruir para o espaço cênico um filme clássico do cinema, Janela indiscreta, de Alfred Hitchcock. O trabalho questiona através do uso da tecnologia do vídeo, como um corpo pode ocupar e interagir em um espaço cênico real, criando um espaço novo.
Com quatro bailarinos e um músico multi-instrumentista que executará ao vivo a obra composta especialmente para o trabalho, a presente proposta envolve a criação do espetáculo que será resultado dos desdobramentos da pesquisa.
Paralelamente, esta proposta envolve a criação de um aplicativo interativo para celular e de um flip book.
direção e concepção: Alex Soares - colaboradores: Paula Zonzini e Ivo Alcântara - elenco: Ícaro Freire, Paula Sousa e dois a definir
Projeto contemplado na 18ª Edição do Programa Municipal de Fomenta à Dança – SMC

seta subir

 

veja também Quer se apresentar no CCSP e nos equipamentos da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo? Clique aqui para saber como enviar sua proposta

ícone facebook
ícone twitter
ícone enciar e-mail
ícone imagens
ícone audio
ícone webrádio
ícone vídeo
destaque
ícone saiba mais
ícone veja também
ícone aviso
ícone obs
audiodescricao
libras
ícone download
endereço eletrônico
ícone inscrições abertas
sem necessidade de inscrição
ícone inscrições encerradas
selecionados
facebook
twitter
boletim
imagens
áudio
lab.rádio
vídeo
destaque
saiba mais
veja também
aviso
obs
audiodescrição
libras
download
www ou email
oficinas
abertas
oficinas com inscrição
inscrições
encerradas
selecionados
 

Divisão de Informação e Comunicação
Direção: Márcio Yonamine
Coordenação: Juliene Codognotto

Conteúdo online
Álvaro Olintho, Danilo Satou, Márcia Dutra, Vinícius Máximo e Sabrina Haick

Imagens - Núcleo de Fotografia do CCSP
Edição de imagens: Sossô Parma
Fotógrafos: João Mussolin, João Silva e Sossô Parma

Materiais impressos
Projeto gráfico: Adriane Bertini ,Solange Azevedo e Yeda Gonçalves
Edição de textos: Camile Rodrigues Aragão Costa, Danilo Satou e Emi Sakai
Revisão: Paulo Vinicio de Brito

Layout e manutenção
Web design: Edmarcio da Silva

Ateliê sonoro
Mediação: Marta Fonterrada e Rodrigo Taguchi
Coordenação técnica: Eduardo Neves

Narrativas CCSP
Coordenação: Chicão Santos
Captação: Celso Toquetti, Giovanni Belleza, José Amador Martins e Thaís Orchi
Edição: Chicão Santos, Giovanni Belleza e Thaís Orchi

Marcia Dutra
Coordenadora do Site  - 11 3397.4066
Divisão de Informação e Comunicação
Rua Vergueiro 1000   -   CEP 01504-000   tel 3397 4002
Paraíso São Paulo – SP