Há 20 anos foi inaugurada a Gibiteca Henfil, primeira gibiteca dentro de uma instituição pública. Instalada inicialmente na Biblioteca Infanto-Juvenil Viriato Corrêa, veio para o Centro Cultural São Paulo em 1999 para integrar o acervo bibliográfico da Biblioteca Sérgio Milliet. O acervo da gibiteca é formado de coleções de álbuns de HQ do mundo inteiro, de revistas doadas por editoras nacionais e por doações de colecionadores particulares. Hoje a Gibiteca Henfil consta com mais de 10 mil títulos o que a torna a maior instituição do gênero em todo o Brasil. Para nós, o valor que isto representa está espelhado no cuidado que temos para a conservação de todo o material e na importância que damos em procurar novidades para atualizar este acervo público.

O patrono da Gibiteca é um dos grandes nomes da comunicação brasileira e um dos maiores inovadores dos quadrinhos no Brasil, Henrique de Sousa Filho, mais conhecido como Henfil (Belo Horizonte, 1944 - Rio de Janeiro, 1988). Era cartunista, escritor e jornalista, traçou um perfil artístico com uma característica especifica: o humor irônico sobre as glórias e mazelas políticas e sociais brasileiras.

A exposição que acontece na praça das bibliotecas - ao lado da Gibiteca Henfil - apresenta de maneira didática a trajetória do artista. Painéis cronologicamente pendurados explicam os percursos do artista gráfico desde o começo de sua carreira, em 1962, na revista Alterosa, até as lutas Diretas Já, passando pelos personagens característicos de sua obra como os politicamente incorretos "fradinhos" ou "Ubaldo, o paranóico". Percorrendo a exposição, conseguimos ver o envolvimento profundo de Henfil com a política, os trabalhadores e até o futebol. A exposição mostra o humor de um grande comunicador e entendedor político-cultural brasileiro. Demonstra como problemas históricos do Brasil ainda são contemporâneos e deixa Henfil vivo entre nós. O Centro Cultural São Paulo presta sua homenagem ao artista.

Ricardo Resende
Diretor do Centro Cultural São Paulo

                      gibiteca 360 graus
 
exposição virtual - quadrinhos marginais 40 anos