TERRA DE NINGUÉM
Marcos e Paulo Sérgio Vale, 1965

PODE OUVIR

 

MOTIVO DA CENSURA


Terra de ninguém foi considerada panfletária pelos censores e acusada de defender, em tom polêmico e com extrema ênfase, a ideia de chamamento à luta contra o regime.


LETRA

Terra De Ninguém
Marcos Valle
compositor: Marcos e Paulo Sérgio Vale, 1965

Segue nessa marcha triste
Seu caminho aflito
Leva só saudade e a injustiça
Que só lhe foi feita desde que nasceu
Pelo mundo inteiro que nada lhe deu
Anda, teu caminho é longo
Cheio de incerteza
Tudo é só pobreza, tudo é só tristeza
Tudo é terra morta
Onde a terra é boa
O senhor é dono
Não deixa passar
Pára no fim da tarde
Tomba já cansado
Cai o nordestino
Reza uma oração
Pra voltar um dia
E criar coragem
Pra poder lutar pelo que é seu
Mas, um dia vai chegar
Que o mundo vai saber
Não se vive sem se dar
Quem trabalha é quem tem
Direito de viver
Pois a terra é de ninguém