MAMÃE EU NÃO QUERIA (Servir o Exército)
Raul Seixas - 1984

PODE OUVIR

 

MOTIVO DA CENSURA


Em Mamãe eu não queria, Raul Seixas deixou claro seu desagrado em relação ao serviço militar obrigatório, enfatizando que muitos faziam (e ainda fazem) certas coisas contra a própria vontade, pois “se fosse tão bom assim não seria imposição”. A música foi censurada para veiculação em rádio e TV, mas pode ser gravada.

LETRA

Mamãe Eu Não Queria, 1984
Raul Seixas

"Larga dessa cantoria, menino
Música não vai levar você lugar nenhum"
Peraí mamãe, güenta aí.

Mamãe, eu não queria
Mamãe, eu não queria
Mamãe, eu não diria
Servir o exército (*)

Não quero bater continência (lalalalá)
Nem pra sargento, cabo ou capitão (lalalalá)
Nem quero ser sentinela
Que nem cachorro vigiando o portão
Não!

Mamãe, eu não queria
Mamãe, eu não queria
Mamãe, eu não diria
Servir o exército

Desculpe, Vossa Excelência
A falta de um pistolão
É que meu velho é soldado
E minha mãe pertence ao Exército de Salvação
Não!

(*)
"Olha as crianças..."

Marcha soldado, cabeça de papel
Se não marchar direito vai preso pro quartel

(*)
Sei que é uma bela carreira (lalalalá)
Mas não tenho a menor vocação (lalalalá)
Se fosse tão bom assim, mainha
Não seria imposição
Não!

Mamãe, eu não queria
Mamãe, eu não queria
Não, não, não
Servir o exército

"Você sabe muito bem que é obrigatório
E além do mais você tem que cumprir com seu
dever com orgulho!"

Mamãe eu não queria

"Você sabe muito bem que é obrigatório
E além do mais você tem que cumprir com seu
dever com orgulho e dedicação"
Mamãe eu morreria
"Pela causa meu filho, pela causa"
Mamãe eu não queria
"Mamãe, mamãe
O exército é o único emprego pra quem não
tem nenhuma vocação, mulé" Mamãe, mamãe eu...